USP forma em gestão 30 líderes de ONGs

Atualizado: 17 de Out de 2019

A parceria inédita entre a USP e a ONG Parceiros Voluntários, especialista em metodologias de profissionalização do Terceiro Setor, será celebrada nesta sexta-feira, para a entrega de diplomas aos alunos. Nesta sexta (18), a Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da USP fará parte de uma cerimônia de formatura bem diferente da que costuma festejar na sua longa e reconhecida trajetória de ensino. Em parceria com a ONG Parceiros Voluntários, a FEA-USP estará entregando os certificados a 30 líderes de organizações da sociedade civil paulistas que concluíram o Curso Educando para a Transparência, focado em gestão.  As aulas desenvolvidas ao longo de quatro meses com 90 horas de capacitação presencial e 32 horas de consultorias individuais e coletivas, têm o objetivo de levar a essas ONGs ferramentas para que possam garantir a elas sustentabilidade financeira e perenidade. A iniciativa conta com o financiamento do Instituto Credit Suisse Hedging-Griffo. O evento irá contar com a palestra A Importância do Compliance no Terceiro Setor, ministrado por especialista de peso na área, autor de livros sobre o tema e com sólida carreira no Ministério Público do Estado de São Paulo e na Promotoria de Fundações da capital paulista, o professor Airton Grazzioli. “Quem não tiver compliance não terá espaço para atuar e existir em um futuro próximo. Hoje no Distrito Federal e no Rio de Janeiro a legislação já não permite repasse de verba pública para quem não tem uma compliance efetiva. Não basta ter um mero código de ética no papel, é preciso desenvolver uma cultura que realmente vá mudar a realidade das organizações sociais e de seus parceiros com resultados que possamos medir”, diz Grazzioli.  “É importante desfazer o mito de que apenas organizações de grande porte têm condições de criar um programa de compliance, já que supostamente é 'muito caro' ter um. Na verdade, o compliance precisa ser visto de uma forma mais ampla. É um estado de espírito que deve contagiar toda a organização”, afirma. "E o que é compliance? Diz respeito a cumprir as leis e normas de uma atividade, além de seguir certos princípios éticos e morais. E é um conceito cada vez mais importante em todo tipo de organização. O principal objetivo de implantar um programa de compliance dentro de uma instituição é garantir que, independentemente de quem venha a geri-la, ela terá uma estrutura capaz de garantir a integridade de suas ações ou ao menos de sinalizar rapidamente que algo está sendo feito da maneira errada. Assim, o problema pode ser corrigido a tempo e a reputação da entidade não é colocada em risco”, explica o especialista, autor do livro ‘Compliance no Terceiro Setor – Controle e Integridade nas Organizações da Sociedade Civil’ em parceria com José Eduardo Sabo Paes. “A prestação de contas é pré-requisito para a manutenção e crescimento das organizações sociais. Quando uma ONG não cria processos que possibilitem o acompanhamento de suas práticas, está fechando as portas a investimentos públicos e privados”, acentua José Alfredo Nahas, superintendente da ONG Parceiros Voluntários.

“O curso é transformador”, diz a aluna Odete Rahal, há três anos gerente administrativo-financeira do Instituto de Reintegração do Refugiado Brasil, mais conhecido por ADUS. “A minha visão era simplista, agora estou categorizando, criando relatórios com impacto e transparência”. Fundado em 2010, o Instituto atendeu, neste ano, 2 mil pessoas de 60 países vítimas de migrações forçadas para a cidade de São Paulo.


Anelise Ramos Pinto, gerente de Comunicação, Marketing e Projeto das Casas André Luiz, tradicional instituição com mais de 70 anos no atendimento a pessoas com deficiências intelectuais, afirma que é o primeiro curso totalmente voltado ao Terceiro Setor de que participa. “O Educando para Transparência fala a nossa língua. Hoje, nossa instituição atende mais de 2 mil pessoas e a transparência é ponto fundamental. Cobramos transparência e temos que ter transparência”.


A gerente-geral Julieta Prado recorda da sua chegada ao Centro Assistencial de Motivação Profissional (CAMP Pinheiros). “Quando entrei na entidade há 17 anos havia sete funcionários, agora são 91. Nós crescemos e isso nos obrigou a evoluir. No curso da USP, consegui identificar formas mais claras de apresentar a nossa prestação de contas”. Desde 1978, a Camp Pinheiros cuida do desenvolvimento pessoal e profissional de adolescentes, jovens e adultos em vulnerabilidade socioeconômica e na proteção e integração social de idosos.


Para o professor de Direito Econômico da USP/Ribeirão Preto, Gabriel Lochagin, a maior importância do curso é contribuir na consolidação de uma série de conhecimentos que os alunos já tinham na prática. “Os professores da USP estão levando para essas lideranças conhecimentos de ponta sobre transparência e isso vai ajudá-los a defender melhor as suas causas sociais”, diz.


Para Ana Letícia da Silva Maciel, presidente do Projeto Âncora, escola voltada para crianças e adolescentes, “a partir do curso percebemos a importância da contabilidade, dos voluntários, da comunicação e da profissionalização da gestão. Já estamos mudando o formato de contratação da contabilidade, a remuneração da diretoria, estamos criando um plano de comunicação e melhorando a organização de voluntários”, explica.


As OSC formandas


o ADD - Ass. Desportiva para Deficientes

o Associação Vaga Lume

o Associação Viva e Deixe Viver

o CAMP Pinheiros

o Casa Tereza Bugolim

o Casas André Luiz

o Escola Natasha Franco Vieira

o FunBEA

o Gotas de Flor com Amor

o Associação Maria Helen Drexel

o Instituto Adoptare

o Instituto Adus

o Instituto Ethos

o Instituto PROA

o Instituto Sorrir para Vida

o IOS - Instituto da Oportunidade Social

o Pimp My Carroça

o Projeto Âncora

o Remo meu Rumo

o UNAS Heliópolis e Região


• Palestra de Airton Grazzioli sobre compliance no Terceiro Setor


Algumas indicações de depoimentos sobre a contribuição do curso:


1) Anelise Ramos Pinto – Gerente de marketing – Casas André Luiz

Telefone: (11) 99943-6349


2) Ana Letícia da Silva Maciel – Presidente - Projeto Âncora

Telefone: (11) 95356-1758


3) Isabela Cristina Gimenez Bastos – Coord. Marketing – Viva e Deixe Viver

Telefone: (11) 95800-4600


Mais sobre AIRTON GRAZZIOLI

Graduado em Direito pela Faculdade de Direito da USP.

Especialista em Direitos Difusos e Coletivos pela Escola Superior do MP de SP.

Mestre em Direito Civil pela PUC-SP.

Especialista em Compliance pela LEC Legal Ethics & Compliance.

Membro do Ministério Público de SP de 1990 a 2019, aposentando-se no cargo de Procurador de Justiça.

Foi Curador de Fundações da Capital por 15 anos (2005-2019).

Foi Vice-Presidente da Associação Nacional dos Procuradores e Promotores de Justiça de Fundações e Entidades de Interesse Social de 2007 a 2016

Atualmente é Consultor em Inteligência, Gestão, Direito e Compliance no 3º Setor.

Professor da Escola Superior do MP de SP.

Professor (voluntário) da Escola Aberta do Terceiro Setor.

Integrante do Comitê de Auditoria da Fundação Padre Anchieta (mantenedora da Rádio e TV Cultura).

Autor de diversas obras e artigos, dentre eles:

- FUNDAÇÕES PRIVADAS – DOUTRINA E PRÁTICA – Editora Atlas – em coautoria com Edson José Rafael

- FUNDAÇÕES PRIVADAS – DAS RELAÇÕES DE PODER À RESPONSABILIDADE DOS DIRIGENTES – Editora Atlas

- ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL – ASSOCIAÇÕES E FUNDAÇÕES – CONSTITUIÇÃO, FUNCIONAMENTO E REMUNERAÇÃO DE DIRIGENTES – em coautoria com José Eduardo Sabo Paes e outros – Ed. Educ

- COMPLIANCE NO TERCEIRO SETOR – CONTROLE E INTEGRIDADE NAS ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL - em coautoria com José Eduardo Sabo Paes – Ed. Elevação


Fonte: Assessoria de Comunicação

  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Twitter
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube
  • Ícone branco do Instagram

Contate-nos

© Escola Aberta do Terceiro Setor | Todos os direitos reservados