Sua DOAÇÃO transforma mundos; quem tem coração DOA


A bondade e a solidariedade tornam as pessoas mais felizes, e a felicidade torna as pessoas mais gentis e generosas! Por isso, presentear e doar aos outros nos deixa felizes. Além do mais, nossa bondade pode criar um ciclo virtuoso que promove felicidade duradoura e altruísmo.


Mas então por que as pessoas acham tão difícil doar? Em tempos de crise, quando as demandas sociais são ainda maiores para se combater a pobreza, será que a doação para uma causa, projeto ou organização da sociedade civil é um desafio ainda maior? Será que doar, nesses tempos difíceis, é mantido no orçamento dos doadores?


Neste ano de 2021, o Índice de Solidariedade, que envolveu 114 países, colocou o Brasil na posição número 54. O Ranking Global de Solidariedade é uma iniciativa da organização britânica Charities Aid Foundation (CAF), representada no Brasil pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social. Conduzido desde 2009, já entrevistou mais de 1,6 milhão de pessoas acima de 15 anos e faz a cada uma delas três perguntas: ajudou um estranho, doou dinheiro a uma organização social ou fez algum tipo de trabalho voluntário? Isso deve ter acontecido nos últimos 30 dias.


Ajudar um estranho é a forma mais comum de doar: 55% dos adultos em todo o mundo tiveram este comportamento, no Brasil, 36%. Mais pessoas fizeram a doação em dinheiro: 31% no mundo, no Brasil, 26%. Globalmente, quase um quinto de todos os adultos são voluntários. Os números da média global se mantiveram em 19%, sendo 15% de voluntariado brasileiro. A Indonésia atualmente tem os níveis mais altos de voluntariado (60%), mostrando o entusiasmo da Indonésia por “gotong-royong”, uma prática de ajuda mútua entre as ilhas, etnias e religiões, especialmente durante os tempos de crises emergenciais.


É preciso mobilizar o Brasil para conquistarmos um país mais generoso e solidário, e promover a doação aqui e em todo o mundo. A situação extrema que vivemos com a pandemia escancarou as desigualdades, mas também promoveu a generosidade.


No dia 30 de novembro, acontece o Dia de Doar, um movimento para promover a filantropia e o voluntariado. É uma mobilização que promove um país mais solidário, por meio da conexão de pessoas com causas. E faz isso celebrando o prazer que é doar, e o hábito de doar recursos, dinheiro e também o tempo… o tempo todo.


Quando existe a identidade de uma pessoa e ainda propósito e valores coincidentes com uma causa ou um projeto, as suas intenções de doação tendem a aumentar. As pessoas se tornam mais dispostas a doar quando veem a generosidade como parte de quem são. Doar é compaixão e conexão e uma sintonia com as próprias emoções.


Doar tem que ser fácil e prático, é preciso descomplicar e gerar um espaço de muita confiança. E é fundamental não esquecer de agradecer: a gratidão amplifica, amplia os efeitos positivos da doação. O doador gosta da sensação de estar na presença de algo grande, transformador, que transcende as questões corriqueiras do dia a dia.


Descrever os resultados da doação é essencial! As pessoas querem saber se suas doações estão causando um impacto. Compartilhe detalhes tangíveis, e escute também sobre o que mais o doador de recursos, de dinheiro ou de tempo deseja saber. As informações sobre para onde irá o recurso oferecido deixam as pessoas mais felizes com sua decisão de doar.


Precisamos envolver e encorajar as pessoas a se comportarem de maneira mais gentil, mais generosa e mais útil. Vários estudos sugerem que a filantropia, a solidariedade e o voluntariado podem ser socialmente contagiosos e geram esse bem estar.


Na verdade, os pesquisadores descobriram que um ato generoso de uma pessoa pode inspirar generosidade em alguém três graus distantes dela, mostrando como uma única pessoa pode influenciar dezenas ou talvez centenas de pessoas em sua rede social, incluindo aquelas que nunca conheceram. Existem maneiras sutis de estimular as pessoas a se tornarem mais generosas no dia a dia. Em um mundo onde a mídia pode nos tornar muito conscientes das desigualdades e demandas da sociedade, precisamos de todas essas ferramentas para ajudar uns aos outros a superar os desafios e permitir que o nosso melhor apareça.


Não se esqueça! Vem aí o Dia de Doar! Ele é democrático e, quanto mais gente se engajar, maior ele se torna e mais pessoas e causas são beneficiadas. A equipe do Dia de Doar criou uma série de materiais para divulgação do movimento, sugestões para fomentar a ação e dicas para as organizações. Existem também histórias inspiradoras de doadores e de voluntários, mostrando que é possível participar.


*A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a opinião do Observatório do Terceiro Setor.


Fonte: Observatório do Terceiro Setor