Editais voltados ao combate à Covid-19 somam cerca de R$ 500 milhões

Digitalizados e divulgados pela startup Prosas, já foram mais de 700 editais para o terceiro setor no primeiro semestre de 2020


Ainda que a pandemia tenha inspirado movimento recorde de solidariedade, apenas 19% dos R$ 6 bilhões em doações foram destinados às organizações sociais, levando-as a buscar outras formas de captação – como os editais.


Não apenas ONGs e negócios sociais, os editais também atendem atores, músicos, jornalistas, entre outros. Em 2019, a área de audiovisual recebeu incentivos que somavam R$ 87 milhões, segundo o estudo Editais Brasil, lançado pela plataforma Prosas.


No primeiro semestre de 2020, porém, por conta da pandemia, notou-se um aumento no número de editais voltados à saúde, que antes não eram tão comuns. Mais do que isso, surgiram novos editais e fundos voltados especialmente ao combate à Covid-19.


De acordo com o Prosas, negócio social voltado à democratização e digitalização dos editais, já passa de 120 o número de editais relacionados à pandemia. A startup criou, inclusive, um outro site específico que reúne apenas esse tipo de concurso, https://coronavirus.prosas.com.br


Somando os nacionais e internacionais e convertendo para a moeda brasileira, tais editais têm potencial de cerca de R$ 500 milhões. Eles se dividem principalmente em amparo emergencial para profissionais de cultura e fortalecimento de iniciativas de impacto em saúde.


Além desses específicos, há também os editais tradicionais, de temáticas variadas. Segundo Bruno Barroso, sócio-fundador do Prosas, não se notou até agora uma diminuição no número de concursos em relação a 2019, apesar da crise econômica.


"Muitas vezes percebemos um reposicionamento, redução de recurso, um outro olhar nos editais, mas quase não houve cancelamento entre aqueles de empresas e organizações com as quais atuamos. Notamos que alguns tradicionais foram adiados pelas empresas, ao mesmo tempo em que essas e outras instituições lançam novas oportunidades mais centradas na pandemia", explica Barroso.


Embora a quantidade de editais em 2020 ainda esteja equilibrada em relação a 2019, o sócio-fundador do Prosas acredita que há uma tendência a aumentar, principalmente com a digitalização.


A startup, além de divulgar editais, trabalha também com a gestão deles, ajudando diversas empresas, governos e parlamentares a gerir editais de parceria com a área social.


Barroso conta que, até o ano passado, 30% dos mapeados do governo só aceitavam inscrições físicas, a serem enviadas pelo correio. Com a chegada do isolamento social e a demanda pela digitalização de todas as áreas, o Prosas viu uma oportunidade de parceria ainda maior com o poder público.


"Entendemos que poderíamos contribuir muito a esse momento ao fazer parceria com os governos, cedendo a eles nossa plataforma e digitalizando seus editais", afirma o sócio-fundador. Um exemplo são os editais de combate à Covid-19 do Ideia.gov, hub de inovação do Governo do Estado de São Paulo.


"Essa parceria com os governos se intensificou na pandemia", relata Barroso. "Antes, a gente notava que a busca dos governos era muito mais tímida, pontual. Agora, com a demanda de urgência dos editais, a gente tem uma procura muito grande de empresas e órgãos governamentais que querem lançar essas chamadas emergenciais voltadas à pandemia ou ao pós-pandemia."


Por conta dessa digitalização em meio ao momento de emergência, a startup, que conta com uma base de 80 mil usuários, cresceu em cinco vezes o número de novos inscritos no mês de junho, em comparação a junho do ano passado.


Além disso, aumentou em 100% o uso da plataforma via dispositivos móveis. "Isso mostra o quanto é importante estar preparado para essa digitalização", afirma Barroso.


Outra iniciativa da empresa para ajudar o terceiro setor na pandemia foi o desenvolvimento do Editais Brasil, estudo que analisa e mapeia o perfil dos editais disponíveis para as áreas social e criativa no país.


O relatório inédito transforma os dados exclusivos do Prosas em informações palpáveis sobre a realidade do país, para onde os recursos são destinados, onde falta recursos, quais são as épocas com maior abundância de editais, entre outros apontamentos.


"A partir do momento em que traduzimos esses dados para um produto de conhecimento, que é o Editais Brasil, a gente também ajuda o terceiro setor a se organizar para captar recurso nesse momento difícil", aponta Barroso.


O Prosas é parceiro estratégico da edição especial do Prêmio Empreendedor Social, Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19.


Nesta edição, as inscrições realizadas pela plataforma da startup de impacto. Saiba mais no site do Empreendedor Social.


Fonte: Folha de São Paulo


  • Ícone branco do Facebook
  • Ícone branco do Twitter
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube
  • Ícone branco do Instagram

Contate-nos

© Escola Aberta do Terceiro Setor | Todos os direitos reservados