Agradeça e reconheça os voluntários

Agradecer e reconhecer os voluntários é o tema estudado no sexto módulo do curso Como Planejar e Desenvolver um Programa de Voluntariado, que conta com a curadoria de Silvia Naccache, referência no setor, além da participação de 18 convidados, entre especialistas e organizações do Brasil e está disponível gratuitamente na plataforma da Escola Aberta do Terceiro Setor.


O módulo é ministrado por Pedro Marcondes que apresenta aspectos conceituais referentes ao tema e Rubem Perlingeiro, dos Escoteiros do Brasil, que compartilha ações práticas de sua organização.


Pedro Marcondes inicia com um questionamento: "Afinal, como podemos manifestar o agradecimento e o reconhecimento como uma estratégia de voluntariado? Podemos dizer que agradecer é o mesmo que dizer obrigado, e reconhecer é o mesmo que dizer parabéns. Pode parecer óbvio, mas ambas as atitudes devem integrar, de uma forma estratégica, o planejamento do seu programa como uma etapa de processos. Desde um simples obrigado a uma premiação, o importante é que os seus voluntários entendam que a ação realizada foi relevante, seja para uma etapa, para a conclusão daquela atividade, da ação ou do projeto”, ensina.


O especialista traz uma reflexão aos gestores de Organizações da Sociedade Civil para que não subestimem, nem superestimem as estratégias de agradecimento e reconhecimento, e que se atentem que o todo é feito por partes. Procedimentos de rotina, elogios genuínos, feedbacks construtivos, acesso às lideranças, plano de cargos, tratamento diferenciado, confraternizações, premiações e brindes, conexão com o público-alvo, homenagens, são os temas da primeira parte deste módulo.


Rubem Perlingeiro, advogado e voluntário do movimento Escoteiros do Brasil há mais de 40 anos, traz algumas dicas do manual de reconhecimento dos Escoteiros que é construído com a Carta de Reconhecimento, com o Elogio, além de Diploma de Mérito e Condecorações. “Reconhecer o tempo de serviço com uma medalha, um troféu por estar envolvido na organização por “X” anos é algo de extremo valor, além de outras formas de incentivo, como patrocinar cursos, seminários, eventos, comemorar o aniversário do voluntário e seus familiares e outras ocasiões que podem ser lembradas”, incentiva o especialista.


“Como voluntário, nós aprendemos que um grão de areia pode ter impacto. Então, em termos de reconhecimento de valorização para que ele se sinta bastante engajado, é importante que conheça a missão da organização e se veja como parte de um todo”, conclui o especialista.


O curso aborda também o planejamento e a definição dos objetivos do Programa de Voluntariado, como recrutar, integrar e fidelizar seu trabalho na organização, além de uma reflexão importante sobre o valor do voluntário e os caminhos para o futuro do voluntariado no cenário atual. Para acessar o conteúdo completo do curso Como Planejar e Desenvolver um Programa de Voluntariado, clique aqui.