A arte de recrutar voluntários

O desejo de realizar um trabalho voluntário está presente em todos nós. E se sentir parte e fazer a diferença para um grupo e sociedade é algo que agrada a maior parte da população. Muitas vezes esse desejo torna-se distante e acaba até sendo minado pela falta de direcionamento de como e onde começar. Para as Organizações da Sociedade Civil um plano de recrutamento é o princípio desse diálogo com o público, abrindo a possibilidade de transformar o interesse em realidade.


Mas as organizações também enfrentam muitas dúvidas sobre como implantar esse processo, entretanto, na prática é mais simples do que parece. Recrute Voluntários é o tema estudado no módulo 3 do curso Como Planejar e Desenvolver um Programa de Voluntariado. O conteúdo especial conta com a curadoria de Silvia Naccache, referência no setor, além da participação de 18 convidados, entre especialistas e organizações do Brasil e está disponível gratuitamente na plataforma da Escola Aberta do Terceiro Setor.


O módulo Recrute Voluntários é ministrado por Maria José do Carmo Quinteira, fundadora do Movimento Capixaba de Voluntariado e Luciana Bernardo, Diretora Executiva da Associação Viva e Deixe Viver.


Maria José destaca que a tecnologia é um grande aliado das Organizações da Sociedade Civil. “Podemos captar voluntários no Instagram, Facebook, WhatsApp, em programas de voluntariado corporativo, por indicação. O acesso está mais fácil e rápido, mas o alerta é para a importância de seguir um roteiro elaborado e um formulário para que a captação seja de fato proveitosa e o colaborador inicie alinhado com os valores e propósitos da organização”, destaca a especialista.



“É necessário que haja um coordenador de voluntário na OSC ou um responsável por entrevistar os interessados. Essa pessoa saberá quais são as necessidades da vaga para analisar o perfil, carga horária, atividade a ser desenvolvida, apresentar a história da instituição em uma conversa agradável, ouvindo mais o candidato para entender seus anseios”, completa Maria José.


Luciana Bernardo é diretora da Associação Viva e Deixe Viver, que é uma organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que treina e capacita voluntários para se tornarem contadores de histórias em hospitais para crianças e adolescentes em oito mercados do país. Em sua fala, Luciana destaca uma pesquisa realizada com 81 crianças hospitalizadas em UTI, avaliadas 30 minutos antes e 30 minutos após a contação de histórias e obtiveram uma resposta surpreendente: “a Viva acredita muito em indicadores de resultados em pesquisas. Em 2021, nós publicamos uma pesquisa científica muito importante no periódico renomado americano, o PNES. Tivemos um indicador interessante, entre as crianças entrevistadas houve aumento da ocitocina - hormônio do humor e o nível do cortisol - hormônio do estresse, baixou. Isso comparado com outra atividade lúdica nos comprova que a narrativa que transporta o pequeno paciente para o mundo da imaginação refletiu na melhora ao longo do seu tratamento”, contou feliz.

O curso aborda também o planejamento e a definição dos objetivos do Programa de Voluntariado, como integrar, fidelizar e reconhecer seu trabalho na organização, além trazer uma reflexão importante sobre o valor do voluntário e os caminhos para o futuro do voluntariado no cenário atual. Para acessar o conteúdo completo do curso Como Planejar e Desenvolver um Programa de Voluntariado, clique aqui.